Artigos

Conheça nosso Blog ACESSE AGORA

Pilates: Saúde e Felicidade

Os templos da malhação andam cansando sua beleza? Se encheu das mesmices dos exercícios de musculação? Fique sabendo que você não está só. Pois os estúdios de Pilates estão cada vez mais cheios de dissidentes das academias.

Você se sente um(a) “E.T.” no meio da agitação que é a sua academia, com aquela música agitada nas alturas e pessoas jovens e esbeltas desfilando para lá e para cá? Por um acaso, você não suporta a mesmice dos exercícios feitos nos aparelhos de musculação? Ou, no seu caso, é por causa do problema na coluna que puxar ferro não é a melhor opção? É por esses motivos que o Pilates, um método de condicionamento físico e mental, porque somos constituídos de corpo e mente, sim! O método tem conquistado cada vez mais pessoas. E mesmo quem se sente em casa dentro dos templos da malhação tem grandes chances de se apaixonar.

O Pilates dá ótimos resultados em pouco tempo: aumenta o tônus muscular e a flexibilidade, promove a mobilidade das articulações, ajuda a alinhar a postura, trabalha intensamente a concentração e a respiração, promovendo um equilíbrio entre corpo e mente. Nas palavras de Joseph Humbertus Pilates, é indispensável “para atingir o objetivo da humanidade: saúde e felicidade”. É isso mesmo. Pilates é o sobrenome do criador do método. Um alemão que, quando criança, sofria de febre reumática e asma. Como assim? Foi exatamente por causa dos problemas de saúde que Joseph Pilates se dedicou com unhas e dentes a tornar-se fisicamente forte.

Aos quatorze anos, dizem seus seguidores, Pilates estava em tão boa forma que podia posar para mapas de anatomia. Lutou boxe, foi artista de circo, treinador de autodefesa. Estudou yoga, zen budismo e regimes gregos e romanos. Dois anos após o início da Primeira Guerra Mundial, Pilates foi mandado para Inglaterra para trabalhar como enfermeiro. Nesse período, utilizando as molas das camas do hospital, desenvolveu um sistema de exercícios que inspirou a criação de seu método e seus equipamentos. A eficácia dos movimentos desenvolvidos foi comprovada quando, em 1918, nenhum dos internos daquele campo sucumbiu a uma epidemia de gripe que matou milhares de pessoas em outros campos da Inglaterra.

Se o método pilates já existe há tanto tempo, porque só de uns tempos para cá vem sendo difundido e conhecido? “Apesar do pilates ter surgido na Primeira Guerra, foi a mídia, através de pessoas famosas, como Madonna e Sharon Stone, que colocou o pilates em evidência”, explica Flávia Lebre, coordenadora de Pilates, no Rio de Janeiro. Mas não foi só para estar na moda que o pessoal aderiu à onda do Pilates. A professora de educação física e dona de um dos estúdios precursores do método Pilates no Brasil, Teresa Camarão, garante que foi uma questão de necessidade: “As pessoas se cansaram das academias. Sentiram necessidade de buscar algo mais harmônico e menos invasivo”, esclarece Teresa. Além disso, o Pilates veio como opção para pessoas acima de 40 anos: “Esse tipo de público ficou de fora do boom das academias. O Pilates se adequa perfeitamente a essas pessoas, que estão buscando atividades menos agressivas, com uma atenção especial e individualizada do professor”, diz ela.

Apesar de fazer sucesso entre pessoas que já passaram da flor da idade, o Pilates é recomendável para todas as idades, não tem contra-indicações, apenas restrições de movimentos no caso de patologias no joelho e na coluna, e é compatível com qualquer outro tipo de atividade física que o praticante faça. Tantas vantagens se devem ao fato de ser uma atividade que se adapta às características de cada um. As sessões são individuais ou em grupos de quatro alunos, no máximo. Os equipamentos, todos desenvolvidos por Joseph Pilates, são constituídos de molas que podem tanto ajudar no movimento como oferecer resistência a ele. Todos os exercícios são associados à respiração e à contração do abdômen. “A força sempre começa no abdômen, que chamamos de centro. Os médicos estão indicando muito o pilates pelo trabalho intenso nessa parte, que alivia muito as dores nas costas e alinha a postura corporal”, explica Flávia Lebre.

Se você não tem o interesse de se tornar uma pilha de músculos ambulante, mas procura desenvolver a flexibilidade tanto quanto o tônus muscular, além de buscar o equilíbrio corporal, o Pilates é tudo que você procurava. “Ele deixa o corpo forte e flexível, sem torná-lo volumoso”, afirma Flávia. Além disso, por exigir concentração e controle da respiração, o pilates alivia o estresse, melhora a coordenação motora, aumenta a consciência corporal e estimula o sistema circulatório, ajudando na oxigenação do sangue. “Quem não se concentra acaba indo parar no chão”, brinca Flávia, lembrando que grande parte dos movimentos exige bastante equilíbrio.

Quem prova comprova

A atriz e dançarina Camila Caputti, de 23 anos, afirma que o Pilates alivia muito o estresse: “É um trabalho consciente em que você se centra no seu corpo e relaxa mesmo. Tonifica o corpo sem fazer esforço, diferentemente de quando faz abdominais compulsivamente”, diz. Isso porque o pilates procura a excelência do movimento, com um número menor de repetições por exercício, feitas com maior precisão. E para quem pensa que esse negócio de equilíbrio entre corpo e mente é baboseira de gente zen, não sabe o que está perdendo. “Você sente que está melhorando a sua postura, a sua respiração, que está caminhando bem, sem maltratar nenhuma parte do corpo. E isso vai melhorar todos os âmbitos da sua vida”, afirma Camila.

Modalidades

Existem duas modalidades de pilates (se é que alguém chegou a essa parte da matéria e não saiu correndo à procura de um centro de pilates ou academia mais próxima que já ofereça o método). A que usa aparelhos, todos feitos com molas, é o chamado studio pilates. O studio nada mais é que uma sala repleta de diferentes equipamentos, onde cada aluno faz um exercício diferente. O outro tipo é o mat pilates, o chamado pilates de solo, que é feito sem aparelhos mas que pode contar com o auxílio de alguns elementos, como bolas e elásticos. Tanto em um quanto em outro, diversidade de movimentos é que não vai faltar. “A aula é uma surpresa, os exercícios variam muito. O Pilates é um verdadeiro parquinho de diversões”, brinca Flávia Lebre, lembrando que, para quem tem patologias de coluna, o studio é mais indicado.

Segundo o próprio Joseph Pilates: “Em dez aulas, você se sentirá melhor, em vinte, parecerá melhor, e em 30 aulas terá um corpo novo”. Mas se o que você tanto busca é simplesmente uma maneira rápida de alcançar a beleza, das duas uma: ou procure rever os seus conceitos ou mantenha distância dos estúdios de Pilates. Mais que uma ginástica, o Pilates é uma questão de qualidade de vida.

Fonte: Bolsa de Mulher

Quer saber mais? Então clique aqui e veja todos os artigos publicados.