Artigos

Conheça nosso Blog ACESSE AGORA

Atividade física auxilia na manutenção da qualidade de vida no climatério

A menopausa é a última menstruação que a mulher apresenta havendo passado 1 ano. Climatério é a fase de transição entre as menstruações e o término das mesmas.

A idade em que ocorre a menopausa varia de mulher para mulher, em torno de 48 a 52 anos. É o período em que ocorre uma série de transformações fisiológicas, orgânicas e anatômicas. Primordialmente é a cessação do funcionamento do ovário, e o término da capacidade procriativa da mulher. Nos animais e nos primórdios da espécie humana correspondia igualmente ao final da idade biológica e coincide com a morte.

Nos humanos, graças à inteligência da nossa espécie e à evolução consegue-se viver de 1/3 a 1/2 da vida após esse período. Uma série de ocorrências acontecem devido à ausência dos hormônios produzidos pelo ovário. De fato, além de perder a capacidade de reproduzir-se a mulher defronta-se com sintomas e consequências decorrentes da ausência de produção de hormônios pelos ovários.

Um dos primeiros desconfortos que decorrem da falência ovariana são as famigeradas ondas de calor, ou fogachos, acompanhados de suores profusos. É uma sensação anômala e desagradável de calor súbito e violento atingindo o segmento craneal-facial de duração rápida, mais frequente à noite e de frequência e intensidade variáveis. O suor é eventualmente catastrófico, a desmanchar penteados e molhar vestimentas.

Além dos fogachos, há nesta fase, outros contratempos. Há maior tendência a distúrbios emocionais, por exemplo,irritabilidade exagerada, depressão, melancolia e tristeza. Frequentemente, sensação de inutilidade, com maridos e parceiros dispersos e desinteressados atingidos que estão pela rotina de anos de convivência. Filhos distantes, ausência de expectativas.

A falta dos hormônios femininos e masculinos que os ovários produzem acarreta desinteresse na sexualidade e com o passar do tempo secura vaginal tornando o ato sexual desagradável. Muitas vezes, a carência de hormôniosfavorece perda involuntária de urina.

A par desses sintomas subjetivos, acontecem alguns malefícios orgânicos importantes. Dos mais importantes é a perda de estrutura óssea, o que acarreta no futuro as temíveis e decorrentes fraturas ósseas, sobretudo, do fêmur e da coluna? Ao que parece, também a falta dos hormônios femininos após a menopausa facilita a ocorrência deenfartes do miocárdio e de derrames cerebrais.

Os fatos mencionados animam os médicos a fazer, em algumas circunstâncias, reposição hormonal com medicamentos que, ao menos parcialmente, imitam a ação dos hormônios naturais metabolizados pelos ovários. Há formas, naturais e semissintéticas, assim como orais, adesivos transcutâneos (na pele), pomadas e implantes subcutâneos. A forma ideal varia de acordo com características sintomatológicas, orgânicas e funcionais de cada mulher e deve ser avaliada pelo especialista.

Evidentemente, que há casos em que a mulher não se adapta à terapêutica de reposição hormonal. Em tais casos, para quase todos os problemas que acompanham a mulher nessa fase há outras opções não hormonais, as quais o ginecologista tem pleno conhecimento.

foto: busquequalidadedevida.com.br

Além da terapêutica medicamentais no climatério, algumas importantes recomendações devem ser obedecidas. Por exemplo, uma atividade física de qualquer espécie de maneira rotineira ajuda a manter o peso, a estética e exacerba o ânimo e a disposição.

Atividades intelectuais melhoram a performance racional, cognitiva e impedem os desagradáveis esquecimentos. A permanência em atividades profissionais ou a iniciação de novos ramos de atividade ou de conhecimento estimulam o prazer de viver e massageia o ego, aumentando a autoestima.

Existem evidencias suficientes para atribuir à prática da atividade física, os seguintes efeitos em mulheres no climatério:

  • Melhorar a aptidão motora física,
  • Garantir segurança nas Atividades de Vida Diária (AVD),
  • Implementar a autonomia e independência,
  • Promover a saúde através da redução do risco de desenvolvimento das doenças,
  • Retardar a progressão e complicação das doenças crônicas,
  • Promover benefícios nos componentes psicológicos e afetivos,
  • Criar, em consenso com os praticantes, o cenário adequado para a integração social.

É preciso incentivar a atividade física no climatério, pois exercícios regulares reduzem os riscos de doenças cardiovasculares e osteoporose, além de causarem mudanças benéficas tanto do ponto de vista estético, quanto no humor.

Quer saber mais? Então clique aqui e veja todos os artigos publicados.